quarta-feira, 19 de junho de 2013

Resenha 04: Morte Súbita

Morte Súbita
J. K. Rowling
Quando Barry FairBrother morre inesperadamente aos quarenta e poucos anos, a pequena cidade de Pagford fica em estado de choque.A aparência idílica do vilarejo, com uma praça de paralelepípedos e uma antiga abadia, esconde uma guerra.
Ricos em guerra com os pobres, adolescentes em guerra com seus pais, esposas em guerra com os maridos, professores em guerra com os alunos… Pagford não é o que parece ser à primeira vista.
A vaga deixada por Barry no conselho da paróquia logo se torna o catalisador para a maior guerra já vivida pelo vilarejo. Quem triunfará em uma eleição repleta de paixão, ambivalência e revelações inesperadas? Com muito humor negro, instigante e constantemente surpreendente, Morte Súbita é o primeiro livro para adultos de J.K. Rowling, autora com mais de 450 milhões de exemplares vendidos.


Editora: Nova Fronteira
Páginas: 512
Merece: ☺☺



A história gira em torno de Barry FairBrother o cara legal, engraçado e integrante do concelho do vilarejo. Como todos sabem, ele morre e essa morte súbita deixa uma vaga, a vacância. O título original do livro leva o nome The Casual Vacancy, quando o traduziram achei muito estranho The Casual Vacancy virar Morte Súbita, mas após ler o livro você aceita esse título. Há vários personagens e ela vai mostrando a vida e a relação de todos com o Sr. Barry.

"Escolher é algo perigoso: quando escolhemos, temos que abrir mão de todas as outras possibilidades."
E depois de mais de um mês consegui concluir a leitura. 
Demorei por que o livro é grande? Não, porque ele é vagaroso.
Ela vai nos mostrando a vida das pessoas nesse pequeno vilarejo e nada acontece, na verdade, o livro começa a ficar interessante lá perto da página 300.
Pois, é quando começam as votações para o substituto da vaga ao concelho e com essa ânsia de vencer, acaba vindo à tona alguns segredinhos de alguns candidatos para a vaga ou de pessoas que fazem parte desse concelho. Para alguns personagens essa brincadeira é engraçada, enquanto outros ficam loucos e isso vira o assunto do vilarejo. Todos esperam pela próxima vítima, o próximo segredo...


"Sua mãe sabia tão pouco sobre o que acontecia na sua vida que jamais suspeitaria da filha preguiçosa, burra e desleixada."


Uma coisa que gostei no livro é quando ela começa a nos mostrar a vida de Terri Weendon mãe de Krystal Weedon e Robbie Weedon. Uma personagem sofrida que se trata na Clínica Addiction Bellchapel, pois luta para sair das drogas para não perder os filhos. Ela tem umas recaídas, tem um vocabulário resumido a palavrões, mas ninguém sabe o quanto ela se sente só, o que aconteceu no seu passado que faz ela ter tais atitudes. Como é na vida real as pessoas só enxergam a carcaça, sem se importar com o que há dentro e tudo o que aconteceu na vida da pessoa para hoje ela ser o que é.

"A família de Terri a conduziu até a porta, pelo tapete azul-royal do corredor central da igreja, e todas as pessoas ali evitaram olhá-la."
 E quando surge a esperança e você pensa "não, agora o livro vai ficar bom" ela simplesmente faz um desfecho que deixa a desejar, ela podia ter ido além, com todos aqueles segredos revelados, mas infelizmente não foi isso o que ela fez...



 Por fim, acho que como escritora de livro para adultos a titia Jô é uma ótima escritora de fantasia. Vamos torcer para que ela se supere.


Daniela Silva

13 comentários:

Priscila Ramos disse...

Esse livro parece ótimo...pelo que li,mas,pelo que você falou dele ser vagaroso,eu não me convenci em querer lê-lo rs.

http://psicodoce.blogspot.com.br/

Nana ~* disse...

Hey
Ah segunda resenha que leio desse livro, essa semana.
E mais uma negativa.
É meio que chato para a autora, né? Acho que os fãs aguardaram tanto um novo lado dela, e alguns ficaram desapontados.

P.S: HAHA Richard e o Kit são uns amores. Adorei conhecê-los. Pena talvez nunca mais o Richard venha aqui kkkkkkkkk ok, talvez pra divulgar algum filme.

beijinhos :*
Nana - Obsession Valley

Ariana disse...

Não é o tipo de leitura que me atrai mas esse parece ser bem bom.
Vou adicionar na minha lista de leituras.
Ótima resenha.

Beijos

Ícaro Machado disse...

Primeiro vim agradecer o comentário seu feito em meu blog. Educação em primeiro lugar. Adorei seu blog, acho que vou ficar por aqui, se você deixar. rs
Bom, quanto a questão da resenha confesso que a autora nunca me chamou atenção, mas esse título foi muito bem escolhido, tão bem que até me senti curioso pela obra. Adorei o nome do seu blog, talvez, pelo fato de ser viciado em café há anos.
http://remember52.blogspot.com.br/

Stéphanie N. disse...

Já li algumas resenhas sobre esse livro e ninguém fica 100% satisfeito com a leitura. De qualquer forma, estou curiosa para ler.

Tá rolando um sorteio lá no meu blog, participa.. quem sabe você não ganha?

http://blog-fabulous.blogspot.com.br/2013/06/sorteio-pincel-maria-margarida.html

Beijão,
Stéphanie

Jéssica Teles disse...

Parece que realmente ninguém gosta 100% desse livro, rs.

beijo, beijo!

Goiabasays

Iasmin Cruz disse...

Eu nunca tive vontade de ler esse livro e sempre vejo resenhas com alguns pontos negativos, então não tenho vontade mesmo.

http://iasmincruz.blogspot.com.br

Melissa Onuma disse...

Pelo visto o livro não é lá grande coisa né?! rs
Nunca tive interesse de ler porque a sinopse não me chamou atenção, agora, depois de ler sua resenha, me desanimou ainda mais. :/
Acho que é melhor ela continuar com histórias de fantasias, que são ótimas!

Beijo
http://criandorabiscos.blogspot.com

Andressa Pereira disse...

Avê! Ta igual A Hospedeira então. Um puta livro gigante, mais devagar que cemitério e enrolado pra caramba. Daí tu vai lendo pensando "Nãaao, o final vai ser fodido de bom!", kkk mero engano nosso então, não é?
Eu tinha minhas dúvidas sobre esse livro "Morte Súbita", mas depois dessa resenha não tenho mais nenhuma! hahaha


Identidade Aleatória
Facebook

Aline Teles disse...

É a segunda pessoa que eu vejo falando da leitura vagarosa desse livro. Gosto de livros que tem um certo suspense. Talvez eu leia esse. Beijos.

Júlia Macalossi disse...

Preciso admitir que eu AMO J.K e ela é minha autora preferida, of course, ela escreveu minha infância praticamente inteira. Mas esse livro não me apetitou. Tô lendo ele, mas tô lendo ele muito lentamente. Tá difícil. Mas adorei sua resenha.

Beijão

http://lullabyforju.blogspot.com.br/

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Olá

Sempre que dirigimos
os nossos pensamentos,
ao que acorda sentimentos bons
em outras vidas,
cada palavra escrita
é uma espécie de oração.

Que teu coração seja o céu
onde as palavras possa voar
buscando a esperança.

Suzana disse...

Pensei que fosse um livro legal, de tanto que estava sendo falado rsrs :P

Adolecentro